Socialização: por que a maioria dos donos falha feio nessa etapa

 

Será que socializar seu cachorro é realmente relevante?

 

Pense em como a palavra socialização está em alta.

 

Você concorda que essa é uma palavra conhecida por todo mundo, que desperta preocupação da maioria dos donos?

 

Sim, em um país com a segunda maior população de cães do mundo, socializar seu melhor amigo é algo essencial se você deseja nutrir uma relação equilibrada entre ele e sua comunidade.

 

Imagine um cão que se adapte facilmente em qualquer ambiente, e se relacione positivamente com tudo e todos.

 

E mais:

 

- Um animal mais calmo e confiante.

- Que sente total segurança dentro e fora de casa.

- Com o psicológico à prova de insegurança e ansiedade.

 

Esse é o poder de uma socialização bem feita.

 

De forma bem direta, a maioria dos donos falha feio na hora de socializar um cachorro. E você conhece esses cães muito bem.

 

Eles:

 

- São inseguros e sentem medo quando encontram pessoas estranhas.

- Desenvolvem sintomas de ansiedade e estresse.

- Eventualmente latem, rosnam ou atacam outras pessoas e animais.

 

Mas, como um conceito tão difundido pode estar sendo tão mal aplicado? Por que, apesar dos esforços, alguns cães simplesmente não se adaptam? Onde estamos errando?

 

1. Por que você deve evitar a palavra socialização

 

A socialização é o processo pelo qual aprendemos normas, regras e costumes de uma sociedade, de forma que consigamos nos conduzir em nossa convivência diária. É um processo contínuo que só se encerra na morte, e se realiza através da comunicação.

 

Para os cães isso acontece de uma maneira diferente, afinal eles não são capazes de se comunicar como os humanos. Por isso seu cachorro depende de você para realizar essa "ponte" entre ele e as mais diversas situações.

 

Esse é o principal erro que os donos cometem ao socializar um animal: expor o cão a diversas situações e achar que a socialização acontecerá sozinha, como se ele fosse capaz de se comunicar com a mesma eficácia.

 

Por essa razão gostamos de substituir o termo socialização por introdução. Socializar seu cão é introduzir gradativamente novos estímulos, testando situações diferentes, analisando como ele reage e facilitando essa comunicação.

2. Como introduzir novos estímulos com inteligência

O período entre seis e doze semanas é o mais importante para mostrar ao seu cão o que ele encontrará durante a vida. Portanto, se você vive em uma cidade movimentada, prepare-se porque haverá muito trabalho a fazer.

 

Seja um filhote ou cão resgatado, você precisa ter cuidado para não exagerar nessa etapa, mostrando muitas coisas em um curto período e o assustando. Experiências novas devem vir aos poucos e construídas com solidez.

 

Essa também será uma etapa de aprendizado para você, já que aprenderá sobre as preocupações, paixões e incertezas do seu melhor amigo. Introduzir um cão com inteligência requer o cumprimento de algumas etapas.

 

Você:

 

1. Expõe o cão a uma determinada situação, sendo um facilitador do processo.

2. Observa como ele reage, identificando o que ele gosta ou não de fazer.

3. Ajuda seu cachorro a superar as preocupações e incertezas.

 

3. Não cometa os erros que todo mundo comete

 

Existem dois tipos de donos de cachorro que falham feio nesse processo.

 

O primeiro se limita a expor o cão a determinadas situações. Ele não facilita o processo, nem observa como o cachorro reage aos diversos estímulos. É quando você basicamente larga seu amigo ali e deixa a natureza ensinar.

 

O segundo expõe o cão (sem facilitar o processo), observa como ele reage, identifica o que ele não gosta, mas não o ajuda a superar as preocupações e incertezas. Você conhece muito bem esse dono, ele diz coisas assim:

 

"Levei meu cachorro ao parque quando era pequeno, mas ele não gosta de outros cães."

"Meu cão rosna para crianças, acho que ele é seletivo."

"Meu cachorro tem medo de passear, por isso fica em casa."

 

Em outras palavras, são donos de se conformam com a limitação temporária do cão e, em vez de ajudá-lo a superar, contribuem para solidificar a insegurança e transformar o cachorro em um animal medroso ou agressivo.

 

4. O que você deve fazer a partir de agora

 

Quando seu cachorro demonstrar através dos sinais alguma preocupação, medo ou não quiser fazer algo, tome nota. Os maiores problemas comportamentais em cães adultos são desenvolvidos quando filhotes.

 

No entanto, se você dedica um tempo para mostrar ao seu cão como determinadas situações podem ser positivas, sua vida certamente ficará mais fácil e ele conseguirá superar esses problemas.


Eu criei um material com mais de 90 páginas dedicado a ajudar pessoas como você, que tem ou pretende ter um cachorro, e reconhece que escolher e educar um cão da maneira correta pode evitar muita dor de cabeça no futuro.

 

Neste material eu reuni os conhecimentos essenciais que todo dono deveria ter antes de receber o primeiro cachorro em casa. Aqui você vai:

 

- Encontrar o cachorro perfeito para você

- Descobrir o que ele precisa de verdade

- Enxergar o mundo através dos olhos dele

- Criar um cão em harmonia com sua família e comunidade

 

O que você vai encontrar no e-book ↴

 

Descobrindo seu parceiro:

Saiba escolher o cachorro perfeito que combine com seu estilo de vida.


Entenda a língua dele:

Descubra como os cães se comunicam e ajude seu cão quando ele mais precisa.

 

Regras e limites:

Como fazer seu cão entender e obedecer regras e limites essenciais para uma boa convivência.


Regras de etiqueta:

Acerte na socialização para criar um cão em harmonia com sua comunidade.


Treinamentos essenciais:

Entenda a hierarquia dos motivadores e acelere o aprendizado do seu cão.


Exercícios físicos e mentais:

Um cachorro cansado é um bom cão. Estimule seu cão de várias formas.


O segredo dos passeios:

Por que e como você deve passear com seu cachorro de uma maneira produtiva.


E muito mais!

 

Aperta aqui agora mesmo para adquirir sua cópia do E-book Estilo Ruff Ruff e se prepare para transformar definitivamente a relação com seu cachorro.