Passeio sem estresse: O que fazer para seu cachorro finalmente relaxar

 

Você levou um tempo para criar coragem e finalmente trazer um cachorro para dentro de casa. Seu sonho é o mesmo da maioria: ter um amigão que acompanha você nas mais diferentes aventuras pela cidade.

 

Nos primeiros passeios tudo é lua de mel, você dá risada até da reação do seu cão ao ver um carro passando. Mas aos poucos seu cachorro começa a se mostrar afobado e ansioso cada vez que vocês dois saem para passear.

 

Apesar de ser paciente com ele, você sente que as coisas não melhoram. Ele fica inseguro e ansioso cada vez que avista outro cão. Isso reflete em puxões constantes, ele fica ofegante e é incapaz de relaxar.

 

Você não sabe mais o que fazer.

 

O que deu errado?

 

Afinal, porque poucos cães são capazes de relaxar de verdade durante todo o passeio?

 

Fica comigo até o final, porque esse artigo vai realmente mudar sua perspectiva.

 

1. O problema é a tal da socialização

 

Pode parecer fácil, mas criar um cão em uma cidade grande é um enorme desafio. Quanto mais movimentada a cidade, maior o número de cheiros, sons e imagens novas passando diante do seu cão.

 

Esses estímulos parecem pouca coisa para você e eu, mas seu cachorro possui um olfato 25 vezes mais apurado, e uma audição até 4x maior. Por isso muitos estímulos surgem para ele como uma ameaça, fazendo seu cão reagir com ansiedade e estresse.

 

 

Foi o esforço inicial da socialização que transformou meus cães em animais mentalmente equilibrados, que se dão bem com tudo e todos. E quando vejo cães passeando com seus donos, percebo que poucos cães sabem lidar com situações inesperadas como os meus.

 

Mas existe uma maneira natural de socializar seu cachorro, permitindo que ele finalmente relaxe nos passeios. Pretendo compartilhar isso com você a partir de agora.

 

2. Por que donos de cachorro falham tanto na socialização?

 

O que torna a socialização bem feita é o planejamento, e convenhamos, as pessoas não gostam muito de planejar as coisas.

 

É ou não é verdade?

 

A socialização de um cão deveria ser feita em 4 etapas:

 

1. Você apresenta um novo estímulo ao seu cão;

2. Esse estímulo envia uma mensagem ao cérebro;

3. O cérebro dele processa o estímulo, provocando uma reação;

4. Seu cachorro aprende a lidar com aquela reação e se acalmar.

 

A maioria dos donos erra normalmente em 2 pontos:

 

1. Muitos estímulos são apresentados de uma só vez, assustando o animal

2. Donos não permitem que seus cães lidem com esses problemas sozinhos

 

Em outras palavras, todo dono é responsável por planejar a socialização e apresentar ao cão novidades aos poucos. Mas quem lida com isso é o cão.

 

O medo de errar, ou machucar o cão, cria a ilusão de que é preciso proteger e pegar seu cachorro no colo a cada susto que ele leva. A verdade é que assim você cria uma bolha ao redor do animal, contribuindo para que ele cresça inseguro e medroso.

 

O cenário piora se você perde a calma e demonstra nervosismo cada vez que ele fica inseguro. Seu cachorro pensa: “Nossa, se ela ficou nervosa com isso, então eu tenho que ficar nervoso também!”.

 

Percebe onde está o erro?

 

3. Qual a vantagem de levar a sério a socialização?

 

Um cão bem socializado é capaz de gerenciar os próprios problemas e lidar com diversos estímulos com naturalidade. Ele será capaz de ignorar o barulho de um ônibus passando, e ficará pleno ao ser surpreendido por um cachorro latindo atrás de um portão.

 

Quando me refiro a estímulos, digo tudo o que pode ser captado pelos 5 sentidos do cão: olfato, audição, visão, tato e paladar.

 

Tudo o que seu cachorro cheira, escuta, vê, sente ou lambe é passado como estímulo para o cérebro.

 

Lidar com esses estímulos com naturalidade é característica de um animal mentalmente equilibrado.

 

 

Podemos concluir que, apesar de tratarmos os cães cada vez mais como membros da família, estamos nadando de braçada na contramão do que eles precisam de verdade para uma vida feliz.

 

Eu sei como é duro saber isso, mas sempre é tempo de mudar.

 

4. 6 maneiras de socializar um cão com excelência

 

O que eu faria se fosse você?

 

#1. Planeje que estímulos você pretende apresentar ao seu cão no passeio

 

Os estímulos dependem da sua rotina. O que seu cachorro encontrará durante a vida ao seu lado? Aqui estão algumas sugestões:

 

1. Carros, ônibus, motos;

2. Bicicletas, patinetes, skate;

3. Grama, areia, terra, asfalto, água;

4. Bebês, crianças, adultos, idosos;

5. Outros animais;

6. Música alta, campainha, interfone;

7. Brinquedos de diferentes texturas.

 

Não se prenda a essa lista. Se você vive na praia, ou visita o campo com frequência, certamente haverão coisas que você deseja apresentar ao seu cachorro. O mesmo acontece se você pretende levá-lo a locais Pet Friendly, ou até para a casa de amigos e familiares.

 

#2. Apresente os estímulos em doses homeopáticas

 

Levar seu cão para caminhar no centro da cidade significa apresentar algumas dezenas de estímulos em um curto espaço de tempo.

 

Ele pode se assustar.

 

Comece introduzindo estímulos em casa, passe para o quintal, em seguida por ruas tranquilas, depois por praças com pouco movimento, e assim por diante.

 

Consistência é mais importante que quantidade nesse momento.

 

#3. Permita que ele gerencie os próprios problemas

 

Não estimule demais.

 

Dê pequenos estímulos para que ele possa olhar para aquilo, manter o foco, processar e aprender. Aos poucos permita que seu cão faça as próprias escolhas e resolva os próprios conflitos.

 

A ideia é desenvolver nele a criatividade, concentração e auto confiança. Você pode fazer coisas para ajudar, como demonstrar tranquilidade em cada etapa do processo e respeitar os limites do seu cão.

 

Respeitar os limites é ter essa percepção:

 

Opa, ficar a apenas 1 metro de outros animais está sendo demais para ele, deixa eu me afastar um pouco para meu cachorro ficar mais tranquilo e observar à distância. Quando ele estiver melhor, tento me aproximar novamente”.

 

5. Até que ponto apresentar novidades pode ser positivo?

 

Seu cachorro é um animal curioso por natureza. Instintivamente ele precisa de curiosidade para explorar e encontrar comida. Por isso seu cão cheira cada sacola que você trás para dentro de casa.

 

Apresentar coisas novas é sempre positivo porque, cada vez que você estimula os sentidos dele, contribui para o desenvolvimento mental. Isso torna seu cachorro mais inteligente com o tempo!

 

Ao levar seu cachorro para um local novo, permita que ele confira toda a área e cheire o que puder. Se você pretende levá-lo a um evento com muitos estímulos, experimente passar lá antes para que ele faça uma varredura na área.

 

Ao passear em locais movimentados, permita que seu cão veja e escute coisas novas à distância. Ele deve decidir se está curioso o bastante para se aproximar e investigar um pouco mais. Se ele demonstrar iniciativa, você permite a aproximação.

 

O problema é que a maioria dos donos vê a socialização como uma etapa, quando na verdade é algo que faz parte de toda vida do animal.

 

 

Sua habilidade de apresentar essas coisas, deixando ele gerenciar os próprios problemas, transformará seu cão em um animal capaz de relaxar no passeio.

 

Resumo:

 

1. Faça uma lista com todos os estímulos que você pretende apresentar ao seu cão.

2. Apresente aos poucos, com consistência.

3. Dê tempo para ele processar e aprender.

4. Mantenha-se calma e confiante durante todo o processo.

5. Respeite os limites dele, mas jamais pare.

 

 

Esse artigo fez algum sentido para você?

 

Se sim, ajude a gente a cumprir nossa missão.

 

Sempre que alguém reclamar de problemas no passeio com um cão, recomende o Instagram @estiloruffruff. Nossos conteúdos estão sempre relacionados com os temas passeio, ansiedade e estresse nos cães.

 

Aperta aqui para seguir nosso Instagram e aproveitar nossas dicas.

 

 

 

 

Enviamos suas compras

Entrega em todo o país

Pague como quiser

Cartões de crédito ou à vista

Compre com segurança

Seus dados sempre protegidos