Blog | Cachorro puxando no passeio. Como resolver?

Cachorro puxando no passeio. Como resolver?

 

Cachorro puxando no passeio é o tópico mais comum entre donos de cães. Mas por que os cães puxam no passeio? E o que você pode fazer para reverter esse cenário definitivamente? Descubra como lendo esse artigo.

 

Índice:

 

  • Por que os cães puxam no passeio
  • Criando um cenário para o seu cão acertar
  • Ensinando o PLACE
  • Dando DIREÇÃO e aplicando CORREÇÃO
  • Escolhendo a coleira certa
  • Resumo (passo a passo)

Por que os cães puxam no passeio

 

A resposta mais simples seria: Porque você permite que isso aconteça. Mas isso vai muito além do que você faz enquanto passeia com seu cão. E puxá-lo de volta ou apostar em uma coleira "anti-puxão" não será a solução para o seu problema, pode acreditar.

 

Pense comigo, nenhum cão chega em uma casa conhecendo regras e sabendo diferenciar o que é certo e errado. Ao etrar pela sua porta ele não lê um manual de instrções que o ajude a se comportar, e explique o que você espera dele no passeio.

 

Então é apenas natural que ele cometa erros e se comporte de uma maneira que frustre você com o passar do tempo. A menos que você tome a iniciativa de orientá-lo, criando um cenário que dê a ele chances de acertar mais que errar. Mas como você pode fazer isso? Continue lendo.

 

 

Criando um cenário para seu cão acertar

 

Muitos donos tem dificuldade de criar regras e restrições para um cão. Eles trazem um filhote para casa, sem restrição de espaço nem rotina básica com educação, recreação e descanso. Simplesmente deixam o filhote existir ali, fazendo as próprias escolhas.

 

No passeio, tudo o que fazem é colocar a coleira e sair de casa. Não existe nenhum tempo dedicado a explicar ao cão o que é uma coleira, quais regras devem ser respeitadas, nem como ele será corrigido quando fizer algo errado.

 

Eventualmente ele vai cometer milhões de erros, você vai perder a paciência e se frustrar, porque na verdade você não preparou o cenário para ele dar certo. O que você fez foi largar mão do filhote, esperando que a natureza o ensinasse por você.

 

Tenha em mente que você recebeu em casa um animal selvagem e predador. Se você não domenticá-lo, ele fará o que qualquer animal selvagem faria em um ambiente urbano: destruir tudo, puxar você no passeio, e por aí vai.

 

Pode parecer romântico receber um cão em casa e deixá-lo livre, como na natureza. Mas a verdade é que você tirou seu cachorro do habitat natural dele e o inseriu em um ambiente social e urbano. Ele vai precisar de orientação em um primeiro momento, até que saiba se comportar, conquiste sua confiança e ganhe mais liberdade.

 

O que você precisa fazer é assumir o papel de orientador do seu cão, construindo novos hábitos através de engajamento educativo diário. E isso exige um certo nível de tempo e paciência que talvez você não tenha contabilizado quando decidiu criar um cachorro.

 

Imagine você em uma empresa nova, em seu primeiro dia de trabalho. Ninguém te passa instrução alguma e somente te largam na frente do computador. A cada meia hora alguém chega e te dá uma bronca. Você sabe que está sendo corrigido, mas não sabe o porquê.

 

Parece justo para você? Então se você quer ter um cachorro que não puxa no passeio, comece mostrando a ele os padrões de comportamento positivos e negativos de forma clara. Você precisa marcar no dia a dia tudo o que é certo ou errado.

 

Se você parar para pensar, todos os animais - inclusive nós - são educados e corrigidos durante a vida. Então não espere do seu cão um bom comportamento se você não cria hábitos corretos e dá orientações certas.

 

A partir de agora vou compartilhar com você uma estratégia para criar o cenário ideal, marcar corretamente o que é certo e errado, para seu cachorro ter mais chances de acertar quando vocês dois estiverem passeando. Continue lendo.

 

 

Ensinando o PLACE

 

Um cão que puxa é sempre adrenalizado e desorientado. Um cão que não puxa é sempre calmo e orientado. Então seu objetivo é ensinar o cão a encontrar um estado de calma permanente, para depois dar a ele a orientação necessária. Precisamos obedecer essa ordem porque é sempre mais difícil orientar um cão ansioso.

 

PLACE é um exercício capaz de tirar a adrenalina do seu cão e mantê-lo em um estado de calma por longos períodos. Não é um exercício ativo como "senta" ou "deita", ms um enercício passivo que diz ao seu cachorro algo como "fique aqui e relaxe por um longo período até que eu te libere". Uma meditação basicamente.

 

Se hoje você não dispõe de tempo para passear com seu cão e incluir uma rotina de exercício extra, pare com os passeios por algumas semanas e mantenha-se apegado ao PLACE. Lembre-se que o importante é engajar com seu cão de maneira produtiva, fora e dentro de casa. E aqui nós estamos construindo uma base sólida para o passeio dar certo.

 

O vídeo abaixo é uma introdução ao PLACE. Assista atentamente e reserve 20-30 minutos diários para praticá-lo. Se você seguir as instruções e se comprometer diariamente, seu cão deverá dominar a fase 1 do PLACE em até duas semanas. Depois, na fase 2, você deve adicionar tempo ao PLACE até que seu cachorro seja capaz de permanecer calmo, no mesmo local, por 30, 45, 60 minutos.

 

Vídeo: Exercício do Place na prática

 

Aos poucos você notará um cão mais calmo no dia a dia. Será possível manter seu cachorro no PLACE enquanto você arruma a casa, cozinha alguma coisa, assiste TV ou se prepara para passear com ele. Nesse nível exercitar o PLACE será algo natural, porque seu cão ficará lá enquanto você faz outras coisas. Essa será a deixa para você exercitar nele o PLACE sempre que puder.

 

Nessa fase seu cachorro estará mais familiarizado com os conceitos de certo e errado, reconhecendo o estado de calma como padrão para o dia a dia. Você também terá adquirido habilidade de comunicação, graças a essas semanas de engajamento educativo com ele. Agora está na hora de levarmos esses conceitos para o passeio e acabar definitivamente com os puxões. Continue lendo.

 

 

Dando DIREÇÃO e aplicando CORREÇÃO no passeio

 

Você sempre vai encontrar donos de cachorro que te dirão algo como "para mim o passeio precisa ser livre, porque esse tempo é dele" ou "para mim cães precisam passear soltos, como na natureza". Eu traduzo essas coisas como "tenho preguiça de dedicar tempo e orientar meu cão" e "é mais cômodo largar mão de educá-lo dando como desculpa deixá-lo ser livre". Se você acredita nessas pessoas, jamais será capaz de colocar tudo o que estou ensinando em prática.

 

Se você deseja criar um cão solto, como na natureza, compre uma casa no alto de uma colina, abandone internet e redes sociais, e crie seu cão solto. Na vida real seu objetivo é ter um passeio estruturado com seu cão, com regras que ele compreenda claramente, e obedeça. Porque vocês vivem juntos em um ambiente social e urbano. E nesse ambiente seu cachorro precisa compreender os conceitos de certo e errado para que a relação de vocês dois seja sustentável no longo prazo.

 

Que tal pararmos com as desculpas e finalmente dedicar um tempo para educar nossos cães e prepará-los para a vida em sociedade?

 

Imagine que você está aprendendo a dirigir. Seu primeiro passo será pagar aulas, onde um orientador vai lhe apresentar os conceitos básicos de condução do veículo. Quando você tiver aprendido esses conceitos, ele irá desafiar você na prática. Nesse momento você definitivamente cometerá erros, mesmo conhecendo as regras. Isso acontece porque errar faz parte de qualquer processo de aprendizado, certo?

 

A diferença é que agora seu orientador poderá lhe corrigir, já que desde o início ele deixou claro para você o que deve ser feito. Ou seja, a correção será feita na esfera de orientação, e não de crieldade ou injustiça. Mostrar exatamente o que você espera do seu cão é o que chamamos de DIREÇÃO, enquanto testá-lo na prática e aparar as arestas é o que chamamos de CORREÇÃO. Continue lendo.

 

- DIREÇÃO

 

Dar direção ao cão é alinhar expectativas, ensinando como você comunicará o que é certo e errado no passeio. Para isso, você fará uso da coleira e guia como ferramentas de comunicação. Você diz ao cão que as coisas estão certas através do que chamamos de relaxamento da guia. E diz que as coisas estão erradas através do que chamamos de pressão da guia.

 

Se você seguiu minha sugestão e praticou o PLACE nas últimas semanas (assistir ao vídeo é importante), percebeu que durante a fase 1 do PLACE vocês dois já receberam uma introdução sobre relaxamento e pressão da guia. Agora você só precisa transferir esses conceitos para o passeio, de forma que ele reconheça claramente quando faz algo certo ou errado.

 

Como seu cão ainda está prendendo, o ideal é que ele inicie em um estado calmo e sem distrações. Você já alcançou esse estado através do PLACE, então tudo o que você precisa fazer é escolher um local tranquilo para começar. Eu costumo sugerir aos nossos clientes que comecem a etapa de DIREÇÃO dentro de casa, na garagem do prédio, ou no quintal.

 

Aplique o exercício do vídeo abaixo por até duas semanas, para condicionar seu cão a obedecer claramente seus comandos através do relaxamento e pressão da guia. Você quem dirá quando seu cachorro estiver preparado para passear em locais mais desafiadores. Tudo depende dele conquistar sua confiança para então ganhar mais liberdade.

 

Vídeo: Conversando com o cão através da guia

 

- CORREÇÃO

 

Se você já introduziu os conceitos de relaxamento e pressão da guia em uma área calma, seu cachorro já aprendeu a passear sem puxar. Agora é apenas uma questão de transferir o exercício para uma área mais movimentada. Mesmo que ele tenha uma boa base dentro de casa, e você tenha dedicado algumas semanas no processo de DIREÇÃO, ele vai eventualmente falhar. Lembre-se que errar faz parte do processo.

 

Mas agora sua correção será justa. Ela não virá acompanhada de frustração, e não será algo estranho para ele. Porque todo processo de aprendizado já incluiu marcadores de certo e errado, e ele já reconhece o que significa relaxamento e pressão da guia. Nesse momento mvocê deve migrar para uma área externa que represente um desafio maior para o cão.

 

O que você está fazendo é introduzir distrações para desafiá-lo, como sair da auto-escola e dirigir pela primeira vez na rua. Quando seu cachorro errar, aplique uma correção imediata para tornar o erro claro. Por exemplo, quando ele está caminhando tranquilamente mas demonstra um ímpeto de ir ao encontro de outro cachorro que está passando no outro lado da rua.

 

Você faz:

- Não!

- E aplica uma consequência de valor.

 

Seu cachorro precisa compreender que cada erro vem acompanhado de uma consequência de valor, nesse caso, uma correção através de pressão na guia. Se você apenas marca o erro com o "não", mas não aplica consequência, o "não" perde significado para o cão. Perceba que não é uma pressão para machucar o cão, apenas algo que vocês já trabalharam nas etapas anteriores.

 

Assim que o comportamento dele mudar positivamente, você faz:

- Isso!

- E aplica o relaxamento da guia.

 

Novamente, vocês estão caminhando e ele demonstra desejo de interromper o percurso para cheirar algo que não deve. Esse é um erro de menor intensidade quando comparado a tentar avançar em um cão estranho, certo?

 

Você faz:

- Não!

- E aplica uma consequência de menor valor.

 

Nesse caso, a consequência de valor também é uma correção na guia, mas com uma pressão mais leve que a anterior. Perceba que você precisa definir níveis de pressão variados, para aplicá-los conforme a gravidade do erro. E jamais deve manter a pressão o tempo todo, sob pena de banalizar essa ação e fazê-la perder significado para o seu cão.

 

Faça isso aos poucos, e não se frustre caso seu cachorro cometa erros e precise de correções. Seja grato porque as correções te dão oportunidade de enraizar melhor nele o comportamento que você deseja. Errar leva à perfeição, então encare tudo isso como parte do processo. Seja justo nas correções aplicadas, e justo ao recompensá-lo com relaxamento quando ele acertar.

 

Jamais esqueça de alimentar nele uma energia mental que favoreça o passeio. Nunca saia de casa com seu cachorro agitado, porque esse não será o cenário para seu cachorro acertar. Se você deixa de corrigi-lo nesse momento, perdeu a chance de corrigir seu cão quando ele estava em um nível de energia mais gerenciável.

 

Ele se agita quando você segura a coleira?

Pare e espere até que ele se acalme.

 

Ele se agita quando você abre a porta?

Pare e espere até que ele se acalme.

 

E assim por diante, mesmo que isso represente gastar metade do tempo dedicado ao passeio nesse processo. Se você colocou o PLACE em prática isso será uma tarefa relativamente simples para vocês dois. Por isso é importante não pular as etapas descritas neste artigo, e assistir cada vídeo atentamente.

 

Ponha em prática o que você quer. Pratique todos os dias exercícios de PLACE, DIREÇÃO e CORREÇÃO na guia. Ponha energia na parte positiva do treinamento, e você economizará muita energia na parte negativa. Com o tempo esses comportamentos se tornam hábito para o cão, e o que você terá é um animal calmo e que demanda pouca ou nenhuma correção no dia a dia.

 

A partir de agora você verá donos que passeiam com cães educados com outros olhos, porque sabe quanto tempo eles dedicaram no processo de educação. Educar é cuidar, e quem ama cuida. Saiba reconhecer a preguiça daqueles que a disfarçam sob o pretexto de "deixar os cães livres". Espero de verdade que você adote uma nova postura e seja exemplo a partir de hoje.

 

 

Como escolher a coleira certa (quebrando preconceitos)

 

Você deve ter percebido como a coleira desempenha papel fundamental no processo de orientação do seu cão. Afinal, é ela quem comunica para o cão o que é certo e errado através dos conceitos de relaxamento e pressão. Como a maioria das pessoas não se preocupa em orientar o cão para o passeio, acabam escolhendo o tipo de coleira sem critério algum.

 

O peitoral por exemplo, é considerado no meio do adestramento uma ferramenta de comunicação muda, porque é incapaz de se comunicar com o cão através de relaxamento e pressão. Ou seja, não só é impossível treinar um cão em todas essas etapas usando um peitoral, como ele te deixará na mão quando você precisar realizar uma CORREÇÃO pontual no dia a dia.

 

Infelizmente alguns treinadores no Brasil (curiosamente) insistem em recomendar o peitoral para seu clientes, iniciando programas de treinamento sem fim com o objetivo de "fidelizar". Eles andam na contramão da evolução, arrastando você para um estado de ignorância e dependência eterna que não considero justa. Eu acredito muito na sua capacidade de aprender novas habilidades e orientar seu cão.

 

No artigo abaixo eu falo um pouco melhor sobre o tipo de coleira que uso em meus cães desde 2011. Ela se chama MARTINGALE, e o impacto dela na educação dos meus cães foi tão grande, que inspirou a criação da marca Ruff Ruff. Resolvi produzir minha própria versão dessa coleira, compartilhando com nossos seguidores conteúdos para transformar positivamente os passeios com seus cães.

 

Artigo: 5 razões para usar uma coleira martingale no seu cachorro

 

 

Resumo (passo a passo + dicas)

 

Passo 1: PLACE (1-2 semanas)

  • Dedique 20-30 minutos por dia à fase 1 do PLACE.
  • Depois, insida duração ao PLACE e aplique sempre que possível.
  • No processo, ensine os conceitos de relaxamento e pressão na guia.
  • Seu cão permanece calmo por 30,45,60 minutos no PLACE? Vá para a próxima fase.

Passo 2: DIREÇÃO (1-2 semanas)

  • Dedique 20-30 minutos por dia à fase de DIREÇÃO.
  • Seu cão compreende os conceitos de relaxamento e pressão? Vá para a próxima fase.

Passo 3: CORREÇÃO (para sempre)

  • Saia com um cão por vez.
  • Estado mental de calma antes de sair de casa.
  • Parar e sentar não basta, ele precisa se render mentalmente para sair calmo.
  • Evite falar no passeio, se limite ao básico e seja objetivo.
  • Não! Pressão na guia. Sempre que ele errar.
  • Isso! Relaxamento na guia. Sempre que ele acertar.
  • Saiba aplicar pressão e relaxamento no momento certo, timing é crítico.
  • Segure a guia com segurança, mas sem tensionar.
  • Tensão serve para corrigir somente, então não a banalize.
  • Encare correção como oportunidade para lapidar o comportamento.
  • Na rua, o objetivo é seu cão focar em você, então mantenha ele do seu lado e não permita que ele saia cheirando tudo.
  • Seja seguro, cães seguem quem sabe para onde está indo.
  • Esse não é momento para socializar e conversar.
  • Decida a hora para ele se aliviar, ele não precisa parar a cada 5 minutos.
  • O prazer do passeio existe para vocês desde que exista uma estrutura.
  • Na volta, igual. Você não quer que ele exploda para dentro de casa.
  • Passear é um jogo de paciência, mostre que você é o intelecto dessa relação.
  • A gente só dá liberdade quando o cachorro sabe fazer as escolhas certas.
  • Insira estrutura e disciplina no dia a dia pelo resto da vida do seu cão.

 

 

FAQ:

 

O que é reatividade canina?

R: É quando seu cachorro demonstra um nível anormal de excitação em resposta a um estímulo normal. Por exemplo, quando seu cão vê outro cão, mas reage de maneira exagerada.

Como posso ajudar um cachorro reativo?

R: Existem formas eficazes de gerir e tratar a reatividade. Nesse artigo demos 6 dicas de gestão, e 4 dicas para o tratamento de um cachorro reativo.

Como lidar com um cachorro reativo no passeio?

R: Você precisa identificar em que nível de reatividade seu cachorro se encontra. Cada nível pede uma estratégia diferente, e todas elas são mencionadas nesse artigo.

Posso usar um peitoral em um cachorro reativo?

R: Não deveria. Um cão é reativo porque recebe estímulos externos que geram nele um desconforto. Como ele não sabe gerir esse desconforto, seu cachorro "explode". Uma das estratégias essenciais para gerir a reatividade é afastar seu cachorro rapidamente desses estímulos, chamamos isso de redirecionamento da atenção. Para fazer isso de forma eficaz você precisa de uma coleira que permita maior controle sobre focinho, orelhas e olhos do cão.

Seguindo as dicas de vocês, em quanto tempo consigo ajudar meu cachorro reativo?

R: As dicas de gestão da reatividade possuem efeito quase imediato. Enquanto as dicas de tratamento são de longo prazo, porém essenciais. Como cães adquirem novos hábitos em até 14 dias, você verá efeitos positivos nesse prazo. Mas seja consistente.

Até que idade é possível reabilitar um cachorro reativo?

R: Cães não se importam com o passado, nem pensam no futuro. Eles vivem o presente, e graças a isso você pode reabilitar um cão em qualquer época da vida.

 

Tem alguma dúvida e quer falar com a gente? Clique aqui!

 

 

Frete grátis acima de R$ 150

A primeira troca é grátis

Compre com segurança